domingo, 17 de abril de 2011

meu nariz

e esse calor não me deixam dormir. bora falar pra estranhos sobre as coisas que eu penso e eles não poderiam ligar menos então.

que mês (ou mais precisamente, quaresma) mais estranho. parece que tudo aconteceu ao contrário, embaralhado. não só os dias dentro do mês, mas também as horas dentro do dia. parece que nada do que aconteceu nesse tempo todo significou alguma coisa, não consigo precisar acontecimento nenhum.

eu não sou assim, não gosto de coisas sem significado, sem conquista e plano e pensamento e análise e detalhes e.
não sou de evitar pensar nas coisas e isso é o que eu mais faço ultimamente.

mas a quaresma de se podar e pensar (só que ao contrario) acabou, e eu sinto e (como não consigo dormir) penso que acabou pra mim também. é que antes existia esse plano, entende? e estava tudo certo, só o que restava era seguir e ser feliz enquanto isso. mas agora o plano obviamente afundou por razões que eu ainda não entendo completamente e eu tenho que criar esse novo plano. esse novo plano obviamente me dá medo, porque além de ser uma mudança radical de um plano que deveria dar certo mas não deu (e eu não sei porque, por extensão, não tenho nenhuma noção se esse vai dar, por extensão, não tenho nenhuma noção de nada) eu também não sei o que ele deveria incluir.

assim, tem aquelas coisas que eu acho que deveriam ser inclusas, tipo, sei lá, viagens. mas fora essas coisas, é tudo muito vago. vai ver é vago porque o objetivo da vida (DIZEM) é ser feliz e ninguém realmente sabe como. mas daí eu sou uma romântica e penso que o plano deveria incluir encontrar o meu cosseno (sou uma romântica E uma engenheira to be E, bom, brega?), mas além de todas essas coisas, eu agora sou também amargurada e cínica (aprendendo com a vida, etc) e penso que incluir isso no plano só pode levar inevitavelmente ao fracasso (caso o objetivo da vida seja mesmo ser feliz, mas caso seja, sei lá, ter muito contato físico com outro ser humano essa provavelmente é a direção certa).

é claro que viver a vida só por viver e tal, sem um plano, é (ou parece ser) melhor. toda aquela coisa de espontaneidade, e sobre como as coisas chegam pra você se você não procura por elas é lindo mas eu tentei isso na quaresma (não tentei com todo esse pensamento sobre o que eu estava fazendo, mas tentei) e vou te falar que não deu certo. eu não fui eu, e eu (descobri recentemente - tipo hoje) quero ser eu. sempre gostei muito de mim e pensando nas coisas que eu fiz ultimamente, não gosto dessa outra pessoa sem planos e sem pensamento obsessivo (ei, pelo menos eu sei que é obsessivo, mas afinal alguem tem que ser, não é mesmo?).

fico feliz que a páscoa finalmente chegou, assim como toda essa galera que acha que deus liga se você fica sem comer carne e ter outros prazeres nesse período (eu tenho o cuidado de não ofender as crenças das pessoas, mas ouvi dizer que é meu direito discordar), só espero continuar pensando do mesmo modo pela manhã (e amanhã, e amanhã, e).

bom, eu tenho que acordar em duas horas e meia, não tenho lá muito tempo pra mudar de opinião, acho que mantenho vocês avisados então.

2 comentários:

Anônimo disse...

Não fique pensando muito na vida, trace um plano e siga em frente, não há segredos!
Você só saberá o que realmente é doce depois de experimentar o amargo.
Não queira colocar sua felicidade nas mãos de outras pessoas,acredite, não valhe a pena,você tem que ser feliz sozinha se dê essa chance. Apaixone-se! pela vida, pelos amigos,pelo novo, sempre pelo novo,sem duvidas coisas inusitadas ainda acontecerão na sua vida, e toda a sua angústia será espumas sobre o mar. Certo! ;)

@Olivia_Tequila disse...

*-* visite meu blogger tb !

Seu blog é bem diferente do meu, mas pareçe que voc~e se expressa bem nele. Good