sábado, 29 de agosto de 2009

O monstro das palavras.

então,

eu entrei na faculdade esse ano, daí teve o trote, aquela coisa toda, e eu conheci esse garoto lá e apesar dele ter jogado tinta em mim, eu sou rykah e phynah e o perdoei. Nós começamos a conversar e eu descobri que ele era tipo O DESENHISTA e ele descobriu que eu era tipo A ESCRITORA (pffffffff! - na verdade ele descobriu que eu tinha ganho a bolsa integral da minha faculdade por causa de uma redação mas vamos supor que é a mesma coisa) e a gente pensou nesse projeto que muito vai nos deixar ricos (mas é claro que não estamos fazendo isso pelo dinheiro porque A. eu sou budista e B. dúvido muito que a gente realmente consiga dinheiro com isso, mas ficamos aí na torcida) e o projeto é: eu escrevo, ele ilustra, enfiamos a coisa toda em um blog (que é o negócio definitivo do futuro)! Genial, haaam ham?! (NOT)

enfim, após meses de insistência do Plumari pra eu escrever logo 'SSAMERDA o primeiro conto, eu consegui! (preguiça bloqueio criativo, vida cheia demais, essas coisas, vocês sabem) e vocês podem ver, se quiserem, sei lá, aqui: O Monstro das Palavras (o que não é totalmente um nome presunçoso - como pode parecer - e sim uma piada interna).

segunda-feira, 24 de agosto de 2009

Bourbon Street Fest.

bourbon street fest em duas palavras? foi fóda.

e tipos que minha mãe acha que eu tenho 13 anos (sempre) e eu sai de lá super cedo (o que foi ainda pior já que por causa da chuva eles atrasaram o começo pra por umas lonas - só que tava chovendo faz tempo, eles acharam o que? que ia parar?), mas oi? aposto que o melhor foi o Glen. Quer dizer, que tipo de pessoa canta JAZZ e faz MOSH? sou fã pra sempre dele.

e uma baixinha do meu lado muito me ameaçou falando que ia revidar se eu batesse nela, e eu, lógico, rykah e phynah < /katylene > só pedi desculpa e nêgo tem sorte de eu ser budista (e covarde) e não arranjar confusão (quer dizer, eu acho que talvez eu tenha até merecido, porque eu CAÍ na hora que eu estava indo embora e só percebi que tinha caído porque eu comecei a ver as coisas de lado e de baixo - ou seja: não tava tintinu nada).

e agora, um video do mosh, e eu MUITO apareço no video (mas dúvido que alguem me ache aí):



e o Glen David Andrews é a pessoa mais descolada do universo e eu peguei ele e fim.

ps.: peguei ele literalmente falando, já que ele mergulhou na galera em que eu me encontrava, etc.
ps².: o vídeo eu achei no @dferreira

sábado, 15 de agosto de 2009

O namorado.

Tá, é isso.

Eu sou o namorado de Sophie Calle. Não, sério, eu sou. É engraçado, porque eu pretendo ver a exposição neste domingo, e de todas as contribuições que você pode participar no site, duvido muito que alguem tenha participado se colocando no lugar do namorado.

Quer dizer, eu estava no metrô, certo? E tinham essas garotas conversando sobre onde ir no fim de semana, daí uma vira pra outra e fala: 'Ah, tem essa exposição de uma mulher francesa que eu vi no Jornal, é sobre um cara que terminou com ela por carta' e a amiga dele: 'Por carta? Meu deus! Que cruel!' e aí elas continuaram a conversar sobre outras coisas para fazer no fim de semana, e eu sou o namorado de Sophie Calle. Apesar de você sabe, eu ser uma garota, e nunca ter namorado com a Sophie Calle. O e-mail é essa representação da carta hoje em dia certo? e eu teria entregado em carta se eu achasse que conseguiria aguentar ver o rosto dele ao receber a carta.

Entende, não é que eu simpatize com o namorado dela, eu tenho raiva dele como qualquer pessoa saudável teria mas eu também certamente não simpatizo com as garotas no metrô.

Na época eu achei que era a coisa certa a fazer, eu realmente achei que eu, sendo uma "escritora", conseguiria fazer que ele sofresse menos lendo que eu estava pisando no seu coração e ateando fogo nele do que se eu simplesmente falasse. Eu realmente achei. Ou talvez eu estivesse só me enganando, uma espécie de justificativa cuidadosamente elaborada enganar a mim mesma e não me fazer perceber que essa saída era mais fácil só pra uma pessoa. Agora eu vejo, além das minhas desculpas cuidadosamente elaboradas: eu cuidei apenas de mim. Fui covarde, covarde e covarde, porque, de algum modo, eu sabia o que vinha a seguir: a dor de partir um coração que me amava, doeu tanto magoa-lo que eu sei que continuarei a achar indefinidamente mais fácil ter o coração partido do que partir um coração até o dia de minha morte (talvez a morte seja pior, mas isso não me impediu de desejá-la durante alguns dias após isto).

Ele me perguntou: 'como você pôde me mandar isto por e-mail?', mas como eu poderia não mandar? É mais fácil dizer que você não ama mais do que escrever? As palavras ditas doem menos do que as lidas? Marcam menos no peito? Cuidam mais do interlocutor? Eu sou menos de um monstro por falar? Falar as mesmas coisas que escrevi, com a mesma intonação e com certeza a mesma intenção?

Eu sou o namorado de Sophie Calle, esse é meu ponto.

ARGHHHH

a curiosidade matou o gato, DE NOJO.
não sério, eu não consigo mais dormir pensando nisso:

(não olhe se você estiver comendo, vai por mim, eu sou o tipo de garota que almoça assistindo Jogos Mortais e tô com nausea a horas, só de pensar nisso - WAAAAY TO WORSE THAN 2GIRLS 1CUP)

O LINK MAIS NOJENTO DE TODA A HISTÓRIA.


certeza que o que matou o gato foi a vontade dele de olhar o que eram aquelas coisas brancas engraçadas no nariz de um humano que passou. ele foi lá, olhou de perto e caiu duro vomitando.

(porque eu fui olhar? PORQUE??? eu odeio ser curiosa, ODEIO ODEIO ODEIO ARGH)

enfim.

sexta-feira, 14 de agosto de 2009

REVISTINHAS COQUETEL PARA VIDA.

GENTE, acho necessário falar que muito realizei um dos meus tópicos de projeto de vida e aprendi a fazer Sudoku! Sério, e é tipos, viciante! Tô maravilhada! *-*

O Próximo Passo: Batalha Naval! (não, sério: NUNCA consigo fazer aqueles)

segunda-feira, 10 de agosto de 2009

senseless

então, existe esse estado de espírito em que nada te atinge, todos os problemas estão abaixo de você, e até a dor é pequena perto do quão grande a sua vida é. não é o nirvana (se é que eu chegarei lá nesta vida) mas é tão bom, que eu quase não quero tentar chegar lá, se isso significa sair daqui.

é tão lírico, e eu continuo postando aqui, senseless, mas não é pra cá que eu deveria estar escrevendo (eu acho) porque também é maior que a vida real (e eu ainda tento deixar esse blog na vida real - díficil, mas TENTO).

hm.

domingo, 9 de agosto de 2009

mejogaramacumba.txt

daí eu fui no médico pra ver se ele me ajudava a parar de sentir uma dor excruciante e depois de 1h esperando no pronto-socorro cheio de gente tossindo (nego acha que tá com a gripe por qualquer coisa) o medico me atendeu e receitou um remédio.
então eu:

voltei pra casa,

comprei o remédio,

tomei o remédio,

me deitei pra esperar o remédio fazer efeito,

senti um caroço duro no meu pescoço,

acendi a luz,

olhei no espelho e percebi que meu olho havia inchado e meu rosto estava deformado,

fiquei um pouco alarmada e gritei MÃÃÃEEEE,

minha mãe ficou um pouco alarmada e me mandou vestir a roupa rápido pra nós irmos ao pronto socorro JÁ,

fomos pro pronto-socorro,

o cara do pronto-socorro injetou coisas em mim,

eu comecei a desinchar,

o cara do pronto-socorro (A.K.A. médico) me disse que só poderia me dar outro remédio pro mesmo problema do remédio anterior que causou tudo isso depois de 3 dias, logo, estou a espera da dor.

próximos passos:

1. jogar sal na casa,
2. ir na igreja fazer exorcismo,
3. chamar os ghostbusters,
4. comprar uma mandala.

BGOS-ME-MANDÃO-BOUAS-ENERJIAS.

quinta-feira, 6 de agosto de 2009

HAHAHA, ficaram preocupados comigo por causa da minha pseudo-depressão, mas era só isso mesmo gente, pseudo (A.K.A. TPM)

enfim, como eu falei pra quem ficou preocupado, acho que o problema é que eu ando me sentindo muito dona de casa. Tô sem trabalho e sem faculdade (e agora, além dos Torre Negra, acabaram os livros que eu tinha comprado quando eu comecei os Torre Negra e não tinha lido até agora - mas agora eu li e não tenho mais nada nada mesmo pra ler) e não faço nada de útil all day long.

ah, sei lá, tudo isso é um saco e eu só não gosto (muito) de ficar reclamando o tempo inteiro porque daí todo mundo acha que eu odeio minha vida quando na verdade eu adoro.

acho que eu preciso de um hobby. alguma sugestão?

terça-feira, 4 de agosto de 2009

eu preciso tanto escrever que estou quase sufocando.

a série de livros que eu comecei a ler nas férias (A Torre Negra - Stephen King) acabou ontem e eu me sinto tão vazia (apesar de que eu já comecei a ler outro, mas não é a mesma coisa). não sei se é por isso também o vazio, e não posso escrever aqui pelo que eu acho que é, porque é hiper pessoal, e eu QUERO escrever, mas se fosse só pela minha vida eu escreveria, não ligo tanto, if you wanna know, mesmo que oi? internet = ninho de tarados e maniacos, não ligo tanto, o problema é que as coisas que eu preciso escrever e preciso tanto que alguem saiba podem machucar outras pessoas, e isso eu não posso fazer.

o que me faz pensar também, não é só o fato de não poder contar pra vocês, eu também não posso contar pra ninguem na minha vida, não posso, não por forças externas, é só que não tem ninguem hoje em dia que saiba como eu sou e que vai entender o que eu quero dizer (na verdade existe duas, mas uma tá no Ceará - OI JU - e a outra é sobre quem eu quero falar) e acho que vou ter mesmo de acabar falando pra ela e vai ser awkward mas tudo bem, enfim, não importa, meu ponto é: estou sem amigos. isso é normal? as pessoas normalmente não têm amigos? quer dizer, acho que minha falta de animo pra entrar no msn, apesar de passar 23h por dia na internet ajuda essa fato, mas mesmo assim...

o negocio é que tá vai, eu tenho amigos, (desculpem amigos, por falar que eu não tenho vocês) mas ando me sentindo tão solitária, TÃO SOLITÁRIA, é dificil empreender todo o sentimento nessa unica palavra se vocês querem saber.

é só que eu ando tão longe das pessoas ultimamente que estou perdendo minha humanidade. isso acontece?

ps - acho importante colocar que estou de TPM e essas coisas meio que acontecem esse período, ainda bem que é só uma semana, porque eu não tenho nenhum numero daqueles 0800-suicidio por perto (não que eu fosse me suicidar, vocês entenderam) mas mesmo assim, pode ser verdade?