sexta-feira, 8 de maio de 2009

BARRA FUNDA PEOPLE

tava conversando com o Dmitri no msn (aliás, saudade de você! eu sei que fica dificil conversar quando eu não entro no msn nunca e etc, mas sei lá, me manda um e-mail!) e lembrei de um post que tava rondando a minha mente mas esqueci de postar (novidade).

semana passada, depois de muitos curriculos mandados (muitos mesmo, eu tenho TOC) essa empresa me chamou, e a entrevista era meio-dia na Barra Funda, daí tá, fiquei toda empolgada, pesquisando que onibus pegar e isso e aquilo, que horas sair de casa, onde fazer baldeação, essas coisas. E fiquei super animada, porque afinal MINHA PRIMEIRA ENTREVISTA DE EMPREGO UHUL!

daí eu sai de casa, peguei o trem, fiz baldeação, etc, etc, etc, duas horas depois desci na estação barra funda, peguei meu mapinha (I heart google maps) e fui correndo pelas ruas de calça social, blusa preta e all star (eu levei um sapato de salto na mochila gente) daí tá, encontrei, só que já eram tipos MEIO DIA E QUINZE e eu tava aimeudelsaimeudelsaimeudels, mas daí eu fui falar com o guardinha e ele falou que não, DE BOAS, porque a entrevista na verdade era uma hora, e né? achei ótimo, mas e se eu tivesse chegado na hora (11:30 - hora que eu pretendia chegar)? Ia ter de ficar esperando 1:30h. Enfim, não era hora de se preocupar com isso, já que eu fui hiper-sortuda (aliás, entre meus amigos existe a lenda de que eu sou sortuda e etc, mas eu sempre achei - como eu sou budista - que isso era só karma, e eu estava sendo uma boa menina - mas pelo jeito eu não estou, como veremos a seguir).

sentei do lado de fora com o pessoal que estava por ali esperando também, olhei pro lado E vi O LOOPING DO PLAYCENTER...
o que né? não é algo que se ve todo dia, e era uma quarta-feira, meio dia e tinham 3 pessoas no brinquedo, empolgadas, o que exclue a possibilidade de serem só funcionários. E essa parte de esperar até que foi bem legal, porque foi um dia de MUITO sol, e eu estava na sombra, vendo pessoas se divertindo (não sei, acho que isso é meio bobo da minha parte, mas eu fico feliz quando eu vejo pessoas felizes) no Looping (aliás, essas pessoinhas foram várias vezes seguidas, porque né? eu imagino que não devia ter fila, e ela gritaram coisas diferentes a cada vez, eu só consegui pegar o teor dos gritos uma vez: BUNDAAA!!!). E comecei a pensar que seria bem agradável trabalhar ali. Quer dizer, eu estava avaliando os meus "concorrentes" na fila e eu tinha certeza de conseguiria entrar (não era só uma vaga), e nem é pra me achar, é só que eu sei o que eu consigo fazer ou não, e isso eu conseguiria. (mesmo o local sendo DO LADO do Playcenter, isso sim, talvez fosse um problema)

Daí chamaram todo mundo pra entrar, e nós fomos colocados em uma sala, uma mulher loira entrou e falou: "Alguém aqui tem menos de 18 anos, ainda não terminou o colegial ou pretende conciliar 2 empregos?" e eu e mais 2 pessoas levantamos a mão, ela chamou a gente pra outra sala para falar que 'infelizmente nós não poderíamos participar do processo de seleção, mas quando nós fizessemos 18 e/ou terminassemos o colegial a gente poderia voltar e tentar denovo' FIM.

Não, to brincando, não era o fim ainda, porque eu tinha ainda que ir ao banheiro (eu estava de salto, ia por denovo o meu all star - quer dizer, como essas mulheres conseguem andar de salto nas calçadas de são paulo? além disso eu não gosto muito de andar devagar, então se eu fosse de salto ia acabar cheia de bolhas por ficar andando rápido / correndo nas buraqueiras) e depois voltar pra casa, 2 horas distante e falar pra minha mãe que todo esse trabalho mental e deslocamento foi em vão, e depois ainda Atravessar A Cidade Parte II - Indo pra Faculdade, mas a esse pelo menos eu já estou acostumada.

E sei lá, eu fiquei bem triste sabe, eu sei que não é culpa da empresa, já que tem no site que ela queria pessoas maiores de 18, isso e aquilo, mas ter de ir até lá pra descobrir isso me deixou irritada. De manhã, na hora que eu estava indo pegar um ônibus pra chegar ao meu destino, eu passei por esse mendigo louco, conversando sozinho. Como eu passei perto, deu pra entender um pouco o teor da discussão que ele estava tendo (consigo mesmo): "Porque eu vou parar de comer mato sozinho pra dividir angu com eles??? Eles são inimigos, querem minha ração![...]" Daí, na volta, eu passei por ele (que estava no mesmo lugar, e praticamente na mesma posição, fazendo os mesmos movimentos com a mão para o interlocutor imaginário - ou invisível, nunca se sabe) mas dessa vez conversando calmamente, e rindo! e eu pensei sinceramente que ele tinha gastado o dia dele melhor do que eu gastei o meu FIM. (porque pelo menos ele resolveu os assuntos dele)

(agora sim, fim de verdade)

Um comentário:

Mel disse...

Primeiro emprego/estágio é assim mesmo; eu tambgém só consegui um bom depois de fazer 18 anos.
De fato andar de salto em São Paulo é uma arte; eu odiava... sté tive uma briga com meu chefe uma vez por conta disso... hoje eu dou risada mais na época eu fiquei com muita raiva.
Boa sorte nas suas próximas tentativas.
Bjs